Terça, 22 de junho de 2021
82 99669-5352
Geral

10/06/2021 às 15h39 - atualizada em 10/06/2021 às 15h38

Acta

MACEIO / AL

Campanha leva discussão para as escolas públicas alagoanas
Iniciativa busca apresentar quando uma abordagem policial pode ser feita
Campanha leva discussão para as escolas públicas alagoanas
Campanha leva discussão para as escolas públicas alagoanas

O cenário de recrudescimento da violência policial em Alagoas tem gerado debates na sociedade civil e nas universidades. A própria Mídia Caeté mostrou, em reportagem especial, o aumento de quase 245% nas mortes após intervenção da polícia no estado entre os anos de 2012 e 2019.


Para enfrentar essa realidade, uma iniciativa do Laboratório Interdisciplinar de Inovação em Organizações e Políticas Públicas (Labipol) pretende conscientizar a sociedade sobre situações de abuso e os direitos assegurados em lei. A campanha intitulada “Basta de violência policial” quer visitar as escolas públicas estaduais e municipais para discutir o que está permitido na legislação em uma abordagem policial, situações de excesso e quais mecanismos para lidar ou denunciar o ocorrido.


A ideia surgiu da necessidade de tratar um tema (a violência policial) tão sensível e complexo de uma forma mais simples e atrativa, com uma linguagem que despertasse o interesse dos jovens, público mais suscetível a sofrer esse tipo de violência”, explica o coordenador da campanha, José Luiz Pedrosa. 


A iniciativa foi lançada oficialmente no fim de maio durante a Semana de Extensão do Centro Universitário Tiradentes (UNIT). Um questionário sobre as práticas de abordagem policial e direitos dos cidadãos já está disponível na internet. Nele, cada resposta selecionada leva a um caminho diferente, proporcionando um conhecimento e experiência interativos.


O questionário expõe aos participantes o contexto em que uma abordagem policial pode ser realizada, quais os direitos de quem está sendo abordado, o que não pode ser feito pelos agentes e quais órgãos procurar em caso de constrangimento ou violência. Nesse caso, os órgãos escolhidos são as Corregedorias das Polícias Militar (082) 3315-7488) e Civil (3315-4020), a Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial (82 2122-5232) e a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB-AL).


Como levar para a escola


Para levar a campanha até a escola em que leciona, os professores ou diretores podem enviar um e-mail demonstrando interesse para “laboratorio.labipol@gmail.com” ou acessar o site do Labipol e enviar a mensagem em uma caixa de texto disponibilizada pela equipe. 


Devido ao contexto de pandemia, os encontros serão realizados de forma online nesse momento. A ideia é mobilizar e trabalhar com jovens a partir de 15 anos de idade. 



FONTE: CAIO LORENA - MÍDIA CAETÉ

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2021 :: Todos os direitos reservados