Segunda, 23 de maio de 2022
82 99669-5352
Política

20/01/2022 às 17h00 - atualizada em 20/01/2022 às 19h14

Adja Alvorável, sob supervisão

Maceió / AL

Bolsonaro sobre reajuste a carreiras policiais: 'Isso está suspenso'
Presidente sinalizou que definirá sobre o assunto ao sancionar Orçamento de 2022, que prevê R$ 1,8 bilhão de reajuste para a categoria
Bolsonaro sobre reajuste a carreiras policiais: 'Isso está suspenso'
O aumento salarial para a área da segurança partiu de uma demanda do próprio presidenteGustavo Moreno/Especial Metrópoles Na imagem colorida, o prédio do Ministério da Economia está retratado na imagem No fim de 2021, antes da votação do Projeto de Lei Or

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quarta-feira (19/1) que o reajuste salarial para servidores da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Federal (PF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) está suspenso até que ele bata o martelo sobre o Orçamento previsto para 2022.


A proposta orçamentária deste ano prevê R$ 1,79 bilhão de aumento para as forças policiais. A equipe econômica é contra a medida e teme que a concessão de reajuste gere pressões de outros setores do funcionalismo. Bolsonaro tem até a próxima sexta-feira (21/1) para sancionar o texto.


Na terça-feira (18/1), servidores de mais de 40 categorias do governo federal fizeram manifestações por um reajuste salarial e uma reestruturação de carreiras.


“Há um grita, de maneira geral, porque a intenção inicial foi essa, não vou negar, de reservar alguns reajustes para policiais federais, policiais rodoviários federais e do o pessoal do Departamento Penitenciário Nacional. Então isso está suspenso. Estamos aguardando o desenlace das ações”, disse o chefe do Executivo federal durante entrevista à Jovem Pan News.


“Estamos aguardando o desenlace das ações. Ou seja, a gente pode fazer justiça com três categorias. Não vai fazer justiça com as demais. Sei disso, mas fica aquela velha pergunta a todos: vamos salvar três categorias ou vai todo mundo sofrer no corrente ano? O tempo vai dizer como a gente vai decidir aqui”, ressaltou.


No aguardo do Congresso


O colunista do Metrópoles Igor Gadelha apurou que o presidente quer aguardar o retorno dos trabalhos do Congresso Nacional, no início de fevereiro, para decidir se concederá ou não reajuste salarial e reestruturação da carreira a policiais federais.


O líder do PSC e vice-líder do governo na Câmara, deputado Aluísio Mendes (MA), afirmou Bolsonaro quer “tratar esse assunto” com os parlamentares e com a sociedade.


A ideia inicial do presidente era tratar da reestruturação da carreira, que diferenciaria mais o salário de entrada na PF do salário final das carreiras, via Medida Provisória.


Agora, de acordo com o líder do PSC, a tendência é debater isso entre fevereiro e março por meio de um projeto de lei que começará a tramitar pela Câmara dos Deputados.


A promessa de Bolsonaro aos policiais gerou insatisfação em outros servidores públicos. Funcionários da Receita Federal, por exemplo, estão em greve desde o fim de dezembro, com mais de 300 analistas tributários já tendo entregue seus cargos.


Diante da reação, aliados de Bolsonaro, como o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), já levantaram a hipótese de não conceder reajuste para nenhuma carreira do funcionalismo público.

FONTE: Metrópoles

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2022 :: Todos os direitos reservados