Terça, 31 de janeiro de 2023
82 99669-5352
Especiais

28/08/2022 às 09h29

Polyana Lima

Maceió / AL

Número de assassinatos em Alagoas aumentou nos últimos seis meses, segundo estudo
No Brasil, o número de assassinatos foi de 20,1 mil no primeiro semestre
Número de assassinatos em Alagoas aumentou nos últimos seis meses, segundo estudo
Alagoas teve um aumento de 6% no número de assassinatos de janeiro a junho de 2022 (Foto: Reprodução/Web)

O número de assassinatos aumentou nos últimos seis meses em Alagoas, segundo o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. O estado segue na contramão da maioria dos estados do Brasil, que registrou uma queda no número de assassinatos em 2022.


 


Segundo o estudo, Alagoas teve um aumento de 6% no número de assassinatos de janeiro a junho de 2022,entre homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios (roubos seguidos de morte) e lesões corporais seguidas de morte. Somente no nordeste, além de Alagoas, também tiveram aumento os estados de Pernambuco (10%) e Piauí (7%). 


 


Dados do Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac), da Secretaria de Segurança Pública (SSP/AL), apontam que em janeiro de 2022, Alagoas registrou 136 homicídios, 8 feminicídios, 4 mortes com resistência com resultado morte e 1 latrocínio.


 


Já em fevereiro foram registradas 113 mortes e 2 mortes a esclarecer, enquanto no mês de março foram contabilizados 137 assassinatos, 3 feminicídios, 1 morte de um policial militar e 2 mortes a esclarecer. No mês de abril, Alagoas registrou 152 assassinatos e 1 feminicídio. Já em maio, o estado teve 134 assassinatos, 4 feminicídios e 3 mortes a esclarecer. Por fim, no mês de junho, Alagoas contabilizou 123 assassinatos, 2 feminicídios e 1 morte a esclarecer.


 


No Brasil, apesar da redução no número de assassinatos, o estudo aponta que mais de 111 brasileiros foram assassinados por dia no primeiro semestre de 2022. Ao todo, foram 20,1 mil assassinatos nos primeiros seis meses deste ano, o que representa uma queda de 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2023 :: Todos os direitos reservados