Sexta, 23 de fevereiro de 2024
82 99669-5352
Entretenimento

24/05/2023 às 18h22 - atualizada em 24/05/2023 às 18h30

Alberto Lima

Maceió / AL

Dois agentes da PCMG são investigados por suspeita de vazamento de fotos de necropsia
O caso está sendo investigado pela corregedoria da instituição
Dois agentes da PCMG são investigados por suspeita de vazamento de fotos de necropsia
Marília Mendonça morreu no auge de sua carreira, em novembro 2021 / Foto: Divulgação

Fontes ligadas às investigações confirmam que mandados de busca e apreensão foram cumpridos contra dois agentes da Polícia Civil, nesta segunda-feira (22).


Um inspetor da Delegacia das Mulheres de Santa Luzia, na Grande BH, e uma servidora do setor de toxicologia do Instituto Médico Legal de Belo Horizonte (IML), são investigados pela corregedoria por suspeita de vazamento das fotos da necropsia da cantora Marília Mendonça.


A Polícia Civil de Minas Gerais se limitou a dizer que "não coaduna com a prática de condutas ilícitas e buscará dar a resposta adequada à sociedade, no menor prazo possível e que o caso está a cargo da corregedoria".


Preso em flagrante


Segundo a fonte ouvida pela reportagem, o inspetor suspeito do vazamento teria sido preso em flagrante, mas ele já estaria em liberdade.


Em abril desta ano, por meio de redes sociais, a Corregedoria-Geral da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) publicou que havia instaurado um procedimento e inquérito policial para apurar autoria e responsabilização dos culpados pelo vazamento de fotos do exame de necropsia da cantora Marília Mendonça.


Ainda segundo a publicação da Corregedoria-Geral, o vazamento aconteceu no sistema da Polícia Civil de Minas Gerais e que os servidores responsáveis pelo vazamento podem ser punidos com afastamento ou até mesmo a demissão.


O que diz a Polícia Civil


Leia a nota na íntegra:


"A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que o procedimento investigativo segue em tramitação a cargo da Corregedoria-Geral de Polícia Civil, que vem realizando todas as diligências cabíveis para identificar o usuário que deu causa ao vazamento do laudo pericial.


A investigação encontra-se em seu curso regular, buscando a elucidação do caso para a devida responsabilização administrativa e criminal dos envolvidos.


A PCMG salienta que não coaduna com a prática de condutas ilícitas e buscará dar a resposta adequada à sociedade, no menor prazo possível."

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2024 :: Todos os direitos reservados