Sábado, 18 de maio de 2024
82 99669-5352
Polícia

21/04/2024 às 15h27

Acta

MACEIO / AL

Cobras encontradas em casa de CAC, em Arapiraca-AL, são levadas ao Ibama
O resgate dos répteis foi uma operação conjunta com um morador local designado para cuidar temporariamente dos animais.
Cobras encontradas em casa de CAC, em Arapiraca-AL, são levadas ao Ibama
As investigações continuam e mais informações podem ser repassadas pelo Disque-Denúncia, através do 181. Foto: BPA

Após a operação de investigação da chacina em Arapiraca, onde quatro corpos foram descobertos em uma fossa, a Guarnição de Polícia Ambiental foi acionada devido a informações sobre possíveis animais silvestres mantidos em cativeiro em uma residência no Sítio Laranjal.


De acordo com relatos, a residência abrigava uma cobra Jiboia, uma cobra Píton exótica e um animal taxidermizado. Após colaboração da Polícia Civil, a denúncia foi confirmada, levando à prisão em flagrante do responsável pelos animais, conforme informado pelo agente Jarlan.


O resgate dos répteis foi uma operação conjunta com um morador local designado para cuidar temporariamente dos animais. No entanto, o animal taxidermizado não foi localizado. Além disso, dois cachorros - um Husk Siberiano e um Pintch - foram encontrados em bom estado, com alimentos em abundância.


A jornada dos animais está em andamento, pois agora serão encaminhados ao CETAS-IBAMA em Maceió, onde receberão os cuidados necessários. Enquanto isso, as autoridades continuam a investigar os detalhes da tragédia e a história por trás da presença desses animais na residência.


No caso da chacina, na última sexta-feira (19), um empresário de 38 anos, identificado como Reginaldo da Silva Santana, também conhecido como Giba, foi preso em Arapiraca após confessar o assassinato de dois homens e duas mulheres. A prisão preventiva do empresário foi decretada no sábado (20), mesmo dia em que outras duas pessoas ligadas ao caso foram detidas na cidade de Nossa Senhora da Glória, em Sergipe.


O resgate dos corpos das vítimas mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros de Alagoas na sexta-feira (19). Os militares foram acionados pela Polícia Civil por volta das 17 horas, e o resgate durou cerca de 5 horas. Os corpos foram encontrados submersos em um poço, a uma profundidade de 8 metros.


As vítimas da chacina foram identificadas como os irmãos Letícia da Silva Santos, 20 anos, e Lucas da Silva Santos, 15 anos; Joselene de Souza Santos, 17 anos (companheira de Lucas); e Erick Juan de Lima Silva, 20 anos, que seria companheiro de Letícia.


A investigação foi coordenada pelo delegado Flávio Saraiva, secretário de Segurança Pública, e pelo delegado-geral Gustavo Xavier, da PCAL, acompanhados do delegado-geral adjunto Eduardo Mero e do diretor do DPJ 1, delegado Daniel Mayer, juntamente com o delegado Edberg Sobral, titular da 4ª Delegacia Regional de Arapiraca (4ªDRP).


As prisões dos outros dois envolvidos foram realizadas pelo Núcleo de Investigação Especial (NIESP) da Delegacia Geral da PC de Alagoas, coordenado pelo delegado Sidney Tenório, com o apoio da equipe do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), sob o comando do delegado João Elói, da PC de Sergipe.


As investigações sobre o caso agora estão sob responsabilidade da equipe da Delegacia Regional de Arapiraca, comandada pelo delegado Edberg Oliveira.

FONTE: Com Ascom BPA

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2024 :: Todos os direitos reservados